Fabricante registrou aumento de 17,5% na receita líquida em relação a 2018

A Marcopolo alcançou crescimento de 17,5% no primeiro trimestre deste ano, com receita operacional líquida de R$ 898,6 milhões, contra R$ 764,8 milhões, registrados no mesmo período de 2018. As vendas no Brasil ampliaram em 23,3% para R$ 411,3 milhões. Já o lucro líquido retraiu 12,7% e totalizou R$ 27,0 milhões, contra R$ 30,9 milhões, no ano anterior.

Segundo José Antonio Valiati, CFO e diretor de Relações com Investidores da Marcopolo, a evolução da produção brasileira de ônibus no primeiro trimestre, um período histórica e sazonalmente mais fraco, demonstra a continuidade do processo de recuperação do mercado. “A Marcopolo ampliou a produção em mais de 23% neste primeiro trimestre, passando de 2.489 unidades para 3.072 unidades, entre todos os modelos feitos no Brasil. Deste total, quase 1.000 foram para clientes do exterior”, destaca o executivo.

Houve crescimento em todos os segmentos, menos no de rodoviários, que apresentou retração de 12,2% na comparação trimestral. Neste caso, o desempenho reflete uma acomodação após a antecipação de demanda provocada pela norma de acessibilidade de outubro de 2018, de obrigatoriedade do elevador nos veículos. A perspectiva é de normalização dos pedidos de ônibus rodoviários, com a estabilidade de volumes até o final deste ano. 

No segmento de ônibus urbanos o crescimento de 15,1% na produção da Marcopolo demonstra a elevação de demanda e o bom momento das exportações desses modelos, especialmente em função do câmbio e de compras voltadas à renovação da frota na cidade de Santiago, Chile. Outro fator que deve contribuir com a demanda do segmento ao longo do ano é a conclusão do processo de licitação das linhas da cidade de São Paulo, prevista para o primeiro semestre deste ano. 

Um dos destaques da Marcopolo no primeiro trimestre foi a entrega de 488 veículos vinculados ao programa Caminho da Escola, sendo 170 micros, 147 urbanos e 171 modelos Volare. O volume faz parte da carteira de quase mil unidades previstas para o primeiro semestre deste ano e se refere à licitação realizada em fevereiro de 2018. No segmento de micro-ônibus, o crescimento da Marcopolo foi de mais de 100%, com 585 unidades fabricadas, contra 291, no mesmo período do ano passado, sobretudo pela demanda de clientes do mercado nacional, principalmente por pequenos frotistas. 

Em relação às unidades externas, os destaques foram os desempenhos da unidade controlada mexicana Polomex, com crescimento de 155,6% e boas perspectivas no segmento de rodoviários e urbanos para o restante do ano, e da coligada colombiana Superpolo, com alta de 65,5% na comparação trimestral, beneficiada pela renovação da frota de Bogotá, na Colômbia.

Crédito das imagens: Ronaldo Santos 

Secco Consultoria de Comunicação
Tel. 55 (11) 5641-7407 | secco@secco.com.br